sábado, 31 de dezembro de 2011

Fest Louvor 2011 - IV Encontro de Adoradores



As noites dos dias 24 e 25 de dezembro foram marcadas com o Fest Louvor 2011 (Fotos aqui) que já é o IV Encontro de Adoradores promovido pelo grupo jovem “Nova Aliança”
A primeira noite como programada foi a noite de louvor e adoração, nesta, o grupo nova aliança e adoradores da região entregaram a Deus seus louvores.
O segundo dia, dando sequencia à festividade tivemos as participações de alguns dos adoradores que fizeram suas apresentações musicais no sábado a noite e a palavra de Deus trazida pela nosso Pastor Valdete Palmeira Costa.
A presença do nosso Cantor Evangelista Moacir Inácio marcou esta festividades e muitos talentos foram descobertos, a exemplo na nossa irmã Taislânia da Assembleia de Deus em Itapitanga e dos Irmãos Wilson e Maira da Assembleia de Deus em Itamotinga.
Cerca de 20 participantes fizeram suas apresentações musicais no sábado e receberam suas premiações no domingo.
Os agradecimento são deixados pelo grupo Nova Aliança a todos os jovens do campos de Madureira em Coaraci especialmente a juventude das congregações em Itajuípe (setor 01), Itapitanga e Itamotinga. Seguem os agradecimentos a todos os irmãos que contribuíram direta e indiretamente para a realização desta Festividade que mesmo não acontecendo em sua real data foi apoiada por toda igreja.
Agradecimentos especiais vão para o nosso irmão Leandro Santos que reside hoje em São Paulo e que idealizou o 2º e o 3º Fest Louvor e  que mesmo à distancia deu todo apoio ao grupo jovem para a concretização de mais uma vitória. 

Fim de Ano na EBD - Encerramento do 4º Trimestre de 2011




Aconteceu na manhã deste domingo (dia 25) o encerramento das atividades do Departamento de Educação Cristã/Escola Bíblica Dominical para o ano de 2011.
A EBD, seguindo as datas sugeridas pela Editora Betel terminou os estudos do ultimo trimestre de 2011, durante o qual teve suas atividades centradas no tema “BARNABÉ”.
Diante deste tema as classes Rosa de Saron (Senhoras), El Shadai (Jovens) e Brilho de Cristo (Adolescente) apresentaram jograis e recitais sobre a pessoa de Barnabé e o seu legado para a igreja atual.
Ainda trabalhando com o tema “BARNABÉ” o nossa irmã Cantora Sirlécia de Jesus louvou a Deus com o hino Coragem de Shirley Kaiser e o nosso Pastor Valdete deu o resumo conclusivo acerca do que Barnabé promoveu na igreja da época e promove à igreja atual nos alertando a investirmos em capital humano, braços para a seara, assim como Barnabé fez com Paulo.
Concluindo, o nosso Cantor Evangelista Moacir Inácio entregou a Deus o louvor “Algo aconteceu” do seu recente lançamento “A mensagem da cruz”.
Para encerrar tivemos entrega de lembranças aos alunos e a toda equipe da EBD e também o sorteio de brindes e de uma cesta do amor que beneficiou a nossa irmã Helena.
Um lanche encerrou a confraternização e o final do ano de 2011 para o Departamento de Educação Cristã.

SEADEC em Candeias-BA





No dia 10 de dezembro aconteceu em Candeias-BA a última SEADEC (Fotos aqui) de 2011. Nesta última convenção foram discutidos assuntos, eventos e projetos para o ano de 2012.
Durante a reunião houve o lançamento do cd do Pastor David da cidade de Candeias cujo projeto está relacionado à reforma da Assembleia de Deus naquela cidade.
Entre as participações de cantores e pastores do campo da Bahia tivemos louvores entoados pela nossa irmã Sandra Cristina e nosso Cantor Evangelista Moacir Inácio.
Tivemos também a palavra do nosso amado Pastor Valdete que falou sobre a cidade de Coaraci que sediará a SEADEC em agosto de 2012 demostrando gratidão e deixando os votos de estima e consideração ao nosso Pastor Presidente José Ivam do Nascimento que encerrou a SEADEC em candeias publicando a quantidade de mais de 180 inscritos.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Fest Louvor 2011 - Camisa

Divulgada a arte da camisa para o Fest Louvor 2011 - IV Encontro de Adoradores



Saiba Mais sobre FEST LOUVOR 2011

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Fest Louvor 2011 - Banner


Saiba Mais sobre FEST LOUVOR 2011

LIÇÃO 12 - Barnabé, O Defensor do Evangelho da Graça



Texto Áureo: “Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema”. Gl 1.8


Objetivos:

Mostrar como surgiu uma batalha no plano doutrinário capaz de ameaçar o Evangelho da graça;
Destacar como Paulo e Barnabé atuaram como defensores do Evangelho.
Descrever como a controvérsia foi resolvida e seus efeitos posteriores.

INTRODUÇÃO.
A mensagem apologética é aquela que pretende defender um determinado ponto de vista. Ela é tanto defensiva quanto preventiva no que concerne aos ensinamentos doutrinários.  Barnabé e Paulo mantinham um status de líderes da Igreja em Antioquia quando a ameaça do ensino judaizante chegou. Assim, eles prontamente procuraram defender a pura doutrina cristã como até então haviam ensinado, com a finalidade de proteger os irmãos no plano ideológico até que o problema fosse solucionado.

1. O EVANGELHO DA GRAÇA AMEAÇADO INTERNAMENTE
O evangelho da graça de Deus consiste em oferecer a salvação pela fé em Jesus, por meio do arrependimento dos pecados (At 2.38; Ef 2.8). Havia em Antioquia uma grande Igreja de judeus e gentios, dois seguimentos que provaram de uma mesma graça. Todavia, estava entre eles um grupo de Jerusalém que não conseguia entender a natureza da nova aliança em toda a sua amplitude e, por esse motivo, um conflito foi gerado por falta dessa compreensão.

2. O CONTRASTE ENTRE ISRAEL E O POVO GENTÍLICO
Deus escolheu Israel para dar testemunho do Seu nome ao mundo. Era um povo distinto, separado e único. Todas as nações ao redor de Israel estavam mergulhadas no animismo, que é culto aos animais; no polidemonismo, culto a muitos demônios; ou, no politeísmo, culto a muitos deuses.  No meio de um mundo totalmente perdido no paganismo, Israel estava sendo levantada como testemunha do verdadeiro Deus.

3. OS DEFENSORES REAGEM, O EVANGELHO DA GRAÇA TRIUNFA
Paulo e Barnabé rechaçaram de pronto os ensinos dos que vinham de Jerusalém, pois compreendiam que a salvação é pela fé e não por meio da observância de ritualismos e tradições externas (At 15.14-19). Mesmo assim, a Igreja decidiu enviar os apóstolos e presbíteros para Jerusalém, para que a questão fosse resolvida a partir de lá para toda a cristandade dali, e florescesse em todo lugar.

CONCLUSÃO
Os gentios não conheciam o verdadeiro Deus e praticavam uma idolatria ridícula. Essa era a fotografia da alienação espiritual dos gentios (Gl 4.8). A história, para os gentios, não levava a parte alguma, porque não possuíam uma esperança de salvação, não criam no Messias que viria como herói para consertar todas as coisas, nem havia qualquer promessa de melhores dias no futuro. Até que, finalmente, a graça os alcançou, quebrando todos os protocolos religiosos, dando a eles os mesmos privilégios que os judeus possuíam. Aleluia!

GLOSSÁRIO
Ideológico: Tratado das idéias, conjunto articulado de idéias;
Cisma: Separação do corpo de uma igreja;
Rechaçar: Recusar; oferecer resistência.

Fontes:
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa - Editora Betel,
Revista: BARNABÉ – Editora Betel - 4º Trimestre 2011 – Lição 12.




LIÇÃO 11 - Barnabé, Um Líder Comprometido em Manter os Resultados



Texto Áureo: “Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério guardado em silêncio nos tempos eternos”. Rm 16.25

Objetivos:
Estudar a estratégia de confirmação e fortalecimento de Barnabé e Paulo às Igrejas;
Ressaltar a importância de prover uma liderança para manter o trabalho;
Apelar a um envolvimento maior na consolidação dos resultados evangelísticos.

INTRODUÇÃO.
Não faz sentido plantar uma grande lavoura e abandonar os seus frutos ao desperdício, isso seria pecar contra Deus. Semelhantemente, na colheita de almas, não convém conduzir pessoas à salvação e deixá-las sem acompanhamento, sem instrução, para que não deixem de desenvolver-se por falta de assistência. Nesta lição estudaremos acerca dos líderes que buscam não somente resultados iniciais, mas que propiciam a outros o direito de serem acompanhados em seus primeiros passos no cristianismo.

1. TRABALHANDO COM A VISITAÇÃO
“E, tendo anunciado… e feito muitos discípulos, voltaram… (At 14.21). Os princípios utilizados numa colheita de grãos abundantes e na colheita de almas são muito semelhantes, ambos precisam ser conservados. Trabalhar na visitação de Igrejas recém-plantadas, e de novos convertidos, é necessário para prover-lhes o acompanhamento e a motivação para que se mantenham firmes de coração na presença de Deus.
  
2. FORTALECENDO OS DISCÍPULOS
Além de visitar as novas Igrejas e rever os irmãos, era necessário fortalecê-los, porque as dificuldades permaneciam por terem se afastado do seu ponto de origem, à sinagoga. Por amor a Cristo, muitos estavam com seus lares divididos, sendo este, muitas vezes, um inevitável preço do discipulado. Entre tantas dificuldades, não seria parando de caminhar que a situação mudaria, mas prosseguindo para o alvo da suprema chamada  agradariam a Deus (Fp 3.13).

3. ELEGENDO PRESBITÉRIOS LOCAIS
A primeira vez que é mencionada, a palavra “presbítero” está veiculada à Antioquia da Síria, onde ainda estavam nessa época Barnabé e Paulo, quando se envolveram numa coleta social para os irmãos na Judeia, e ambos foram enviados pelo “presbitério” dali para conduzir o socorro alimentício (At 11.27-30). Apesar do silêncio acerca da existência de anciãos na Igreja até esse momento, é evidente que em Jerusalém já existiam;  foram eles que examinaram, junto aos apóstolos, a questão da obediência ao rito mosaico, chegando a uma solução satisfatória depois de amplo debate (At 15.2,4, 6,22).

CONCLUSÃO
Quase dois mil anos se passaram, mas a estratégia missionária de manter as Igrejas recém-plantadas permanece, tendo suas bases nascido naquela época. Somos inspirados a um zelo apostólico pelos novos convertidos e novas Igrejas como se fossem nossos filhos, por quem sofremos. Com princípios simples, práticos e básicos como visitar, encorajar, instituir líderes e finalmente, encomendá-los à graça de Deus.

GLOSSÁRIO
Hordas: Tribos selvagens; Bandos;
Salteadores: Ladrões de estrada;
Sobressair: Chamar a atenção.

Fontes:
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa - Editora Betel,
Revista: BARNABÉ – Editora Betel - 4º Trimestre 2011 – Lição 11.



LIÇÃO 10 - Barnabé e Paulo Recusam a Adoração



Texto Áureo: “Senhores, por que fazeis isto Nós também somos homens como vós, sujeitos aos mesmos sentimentos, e vos anunciamos o Evangelho para que destas coisas vãs vos convertais ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles”. At 14.15

Objetivos:

Mostrar que nem sempre os milagres de Deus são bem interpretados inicialmente;
Revelar a importância de recusarmos qualquer espécie de veneração ou adoração;
Direcionar sempre  nossa mensagem à adoração a quem de fato merece – Deus.

INTRODUÇÃO.
Os milagres são tanto um benefício ao ser humano, onde Deus intervém nas leis naturais para abençoá-lo, quanto uma maneira de comunicar Sua pessoa e boa vontade. Entretanto, nem sempre essa comunicação é devidamente entendida por parte daqueles que a recebem. Nessa lição também teremos a oportunidade de ver a firmeza dos apóstolos em não aceitarem a adoração, que pertence somente a Deus, o que devemos sempre ter o cuidado de ensinar. 

1. A CURA DO PARALÍTICO
Deus deseja manifestar o Seu amor ao ser humano através da Igreja, da Sua Palavra pregada por meio de seus embaixadores, através dos milagres e do perdão concedidos aos homens. Tudo isso Ele faz visando reconduzi-los ao estado de verdadeira satisfação, que não pode ser encontrada nas coisas desse mundo. Porém, quase sempre o homem não consegue entender o sentimento e o agir de Deus.
  
2. IMPEDINDO A FALSA ADORAÇÃO
Para o espanto de todos que passavam próximos à porta da Cidade de Listra, viram aquele homem andar, o mesmo que era conhecido de todos como paralítico desde o seu nascimento. Os listrenses ficaram sobremodo maravilhados e conversavam entre si o que significava aquilo. Os milagres de Deus são assim, chamam a atenção para que as pessoas o possam ouvir mais nitidamente através das Escrituras.
  
3. ORIENTANDO A VERDADEIRA ADORAÇÃO
Embora os pregadores tenham sido enérgicos em suas atitudes, não foram indelicados para com seus ouvintes. A mensagem de Paulo lhes demonstrou simplicidade e carinho, sem jamais lhes ofender. A Palavra lhes ensinava o Deus Supremo “fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria” (At 14.17). Apesar de terem suas lendas, Deus, através de Seus servos, ensinou-lhes a verdade, dando testemunho de si mesmo.

CONCLUSÃO
Observamos que muitos, em seu caminhar, realizam determinados atos e creem estar fazendo o que é certo, em razão da necessidade que sentem do contato com o mundo espiritual para satisfazerem sua alma. Cabe a nós entendermos o agir de Deus e apresentar-lhes um Evangelho genuíno, sério, objetivo, sem promessas fúteis, mesmo que estejamos passando por situações contrárias à nossa vontade.

GLOSSÁRIO
Mórbido: Enfermo, doentio.
Aferrado: Obstinado, teimoso, pertinaz.
Rurícola: Que vive no campo, agricultor, lavrador.


Fontes:
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa - Editora Betel,
Revista: BARNABÉ – Editora Betel - 4º Trimestre 2011 – Lição 10.



quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Qual o Tamanho do Seu Amor?



Um certo credor tinha dois devedores: um devia-lhe quinhentos dinheiros, e outro cinqüenta. E, não tendo eles com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Dize, pois, qual deles o amará mais? E Simão, respondendo, disse: Tenho para mim que é aquele a quem mais perdoou. E ele lhe disse: Julgaste bem(Lucas 7:41,43)

Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama

Sabes qual é o tamanho do Seu amor para com Deus?

O mesmo amor, a mesma intensidade que você dá ao seu irmão que te magoou profundamente....este é o amor que você tem para com Deus.
SE você não ama este irmão o suficiente, você não ama a Deus o suficiente
Se você ainda tem restrições contra o seu irmão, também terá contra Deus
Pois a Palavra de Deus é clara....... é AMOR,

No livro de Mateus 5:44 a 46 lemos...
Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis?

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Nova Revista para Jovens e Adultos 1º Trimestre de 2012


A lição desse trimestre tratará sobre a vida de um dos patriarcas de Israel chamado Jacó. Essa personagem, que teve o seu nome mudado pelo homem misterioso no Vau de Jaboque para Israel, tem, durante séculos, inspirado muitos escritores e pesquisadores da literatura Judaico-cristã. Jacó foi um homem intrigante que buscou bênçãos por caminhos tortuosos, em companhia de paixões terrenas. Sua espiritualidade desafiadora promoveu-lhe uma vida que enriquece nosso entendimento do Sagrado. A simplicidade de sua vida, no entanto, conduziu sua história pela provisão de Deus que está gravado na Bíblia como ensinamentos divino.
Que neste primeiro trimestre de 2012 o Espírito do Senhor ajude a vocês, professores e alunos, para que, através das histórias de vida do velho patriarca Jacó, juntos possam se enriquecer espiritualmente de suas experiências.
Estas lições bíblicas são um convite singelo para seguir a Deus de todo o coração na transformação de nosso caráter.

Pastor Fernando Luiz Viana Alves

Revista Adolescer+ para o 1° Tri de 2012

É com imensa satisfação que iniciamos mais um trimestre, onde serão abordados temas relevantes como: fé, honestidade, gratidão, amor, oração, entre outros. Estes temas estão relacionados ao “crescimento cristão” e à maturidade espiritual. Os adolescentes, dessa faixa etária (12 a 14 anos), ainda estão sendo formados como indivíduos, cidadãos e servos de Deus. E o ducador cristão deve ajudá-los nessa fase, onde ocorrem profundas mudanças físicas, emocionais e, consequentemente, espirituais. Precisamos estar atento, agir com compreensão, paciência e amor, para que o assunto a ser tratado, possa ser bem aceito pelos alunos sendo um instrumento de Deus na vida de cada um deles. Professor, Oriente-os sempre em conformidade com os padrões bíblicos, levando-os a desejarem estabelecer uma profunda comunhão com Deus e uma boa convivência com o próximo.
Deus deseja que todos cresçam na graça e no conhecimento da sua Palavra. Portanto, esperamos que o conteúdo desta revista seja uma fonte de inspiração, para que crescimento moral e espiritual ocorra, tornando-se uma realidade em sua vida bem como na de seus alunos.
Que estas próximas aulas sejam proveitosas e contribuam para desenvolver em cada aluno, o verdadeiro caráter cristão.

domingo, 20 de novembro de 2011

FEST LOUVOR 2011 - Apresentação



O Grupo Nova Aliança promove nos dias 24 e 25 de dezembro o FEST LOUVOR 2011, e dá sequência a suas programações anuais para o que já é o nosso IV Encontro de Adoradores.
O Encontro destina-se a todos os públicos e preferencialmente para o público jovem cristão.
Assim esperamos que este evento proporcione a atuação da juventude numa verdadeira adoração a Deus.

Contamos com a presença de todos!


A NOITE DE LOUVOR E ADORAÇÃO
No dia 24 (a partir das 18hs) os participantes farão apresentações musicais sem concorrência e todos receberão premiação pelos trabalhos apresentados.
As modalidades serão: solo - dueto - conjunto e banda. Será cobrada dos participantes a taxa de inscrição de R$ 5,00 (cinco reais).
Durante a noite contaremos também com participações especiais de cantores e bandas.


PROGRAMAÇÃO
24 de Dezembro
18h - Chegada das Caravanas
19h - Abertura
20h - Participações
21h 30 - Encerramento

25 de Dezembro

18h - Chegada das Caravanas
19h - Festividade
21h 30 - Lembranças e Premiações
22h - Encerramento


INVESTIMENTO
Inscrição Fest Louvor - R$ 5,00 (Até o dia 24/12)


INSCRIÇÃO
Pode ser realizada:

Por telefone para:
0**73 81558844 (Falar com Erivelton)
0**73 91199077 (Falar com Nilo)

Presencialmente na secretaria da Assembleia de Deus em Coaraci:
Quarta-feira: das 19h às 20h
Domingo: das 9ah às 10h 30  ou das 19h às 20h

Por e-mail:
Solicitando ficha de inscrição para madureiraemcoaraci@gmail.com

Os jovens das congregações do campo de Coaraci-BA devem procurar sua liderança.


IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS CAMPO DE COARACI-BA
Avenida São Pedro, 876 - Bairro Santo Antônio
CEP - 45638-000 Coaraci-Bahia

LIÇÃO 09 - Barnabé e as Pressões Sofridas em Icônio


Texto Áureo: “Irmãos, tomai por modelo no sofrimento e na paciência os profetas, os quais falaram em nome do Senhor”. Tg 5.10

Objetivos:
Esclarecer que as pressões e perseguições são comuns àqueles que anunciam o Evangelho.
Explicar o porquê das pressões que sofrem uma liderança comprometida.
Apelar aos alunos a enfrentarem as perseguições segundo o modelo bíblico.

INTRODUÇÃO.
Nesta lição iremos discorrer sobre as pressões comuns a que uma liderança, com a missão evangelizadora, muitas vezes é submetida ocasionalmente. Verificaremos, também, a verdadeira fonte dessas perseguições e pressões. Embora na maior parte de nosso território não haja uma perseguição direta, existem lugares distantes que se opõem de forma um tanto ou quanto dissimulada. Vejamos como agiram os apóstolos e como se deve agir em casos assim.

1 NASCE UMA GRANDE MULTIDÃO DE CRENTES
Havia um senso de urgência muito grande na alma de Paulo e de Barnabé. Ao partirem para Icônio, não perderam tempo, e logo no primeiro sábado após chegarem, se dirigiram à principal sinagoga da cidade para pregar o Evangelho. Sem dúvida, aquela era uma direção do Espírito Santo para a vida deles, e por outro lado, perceberam que deveriam se apressar por causa do contato que havia entre as sinagogas da região.

2. AS PRESSÕES SE INICIAM
Anos mais tarde, após a primeira viagem missionária, a experiência de Paulo o conduziu a escrever “A nossa luta... é contra os principados e potestades” (Ef 6.12), ou seja, o reino articulado de Satanás, a antiga serpente. Quando o Evangelho de poder chega a um lugar, Satanás deixa aquela onda passar, arquiteta uma represália utilizando-se da incredulidade de alguns, coloca o sistema por ele controlado e faz  pressões contra o pregador e o Evangelho de Cristo.

3. EVITANDO O PIOR
Barnabé e Paulo, a princípio, sempre eram bem acolhidos nas cidades onde pregavam. Todavia, momentos após testemunharem, experimentavam oposições tais como insultos, humilhações, serem obrigados a comparecer ante os fóruns locais para prestarem depoimentos, e também nas sinagogas, sendo psicologicamente intimidados. Enfim, Jesus lhes deu a planta futura do poder do Evangelho (Mt 10.17.18).

CONCLUSÃO
Em certas partes do território brasileiro existem vários obreiros sofrendo oposição. Há lugares cujos comerciantes são orientados a não venderem nada a pastores, nem recebê-los em suas moradas. Se olharmos a questão posta acima sob um outro prisma, entenderemos que, na verdade, quem estava fazendo pressão eram Barnabé e Paulo quando apresentavam ousadamente a Jesus Cristo. Os espíritos malignos que há muito tempo estavam acomodados na cultura local se agitaram. Logo, o que sofreram ali e em outros lugares, foi a represália do poder das trevas. 



GLOSSÁRIO:
Varonil: Próprio de varão.
Engendrada: O mesmo que inventada.
Conluio: O mesmo que reunidos; combinados para uma fraude.


Fontes:
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa - Editora Betel,
Revista: BARNABÉ – Editora Betel - 4º Trimestre 2011 – Lição 09.

Precisamos Assumir Riscos Para Melhor Servir



Sem riscos,
Os poetas não escreveriam poesias.
As crianças não seriam criativas.
Os cientistas não seriam inventivos.
Os empresários não seriam empreendedores.
Os amantes não partiriam para o terreno inóspito da conquista.


Sem riscos,
Não conheceríamos o sabor das derrotas, nem o paladar das vitórias.

Não erraríamos... Não choraríamos... Não pediríamos desculpas...
Não teríamos necessidade de humildade em nosso cardápio intelectual.


Sem riscos seriamos conquistados e não conquistadores.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

LIÇÃO 08 - Barnabé, Um Líder que Ousou Mudar de Paradigma


Textos Áureo: “Os discípulos, porém, transbordavam de alegria e do Espírito Santo”. At 13.52

Objetivos:

Ensinar que, às vezes, é preciso que algumas  lideranças sejam mudadas;
Mostrar quando mudar positivamente os paradigmas se torna necessário;
Apelar a aceitar de boa vontade mudanças, mesmo diante do elevado preço que elas apresentam.

INTRODUÇÃO.
Deus revelou em Cristo um novo concerto, com novas bênçãos ao cumprir  Sua promessa por meio da vinda de Seu Filho. Mas os homens se apegaram a tradições estéreis, motivados pela inveja, pelo ganho e pelo ciúme da perda de influência. Eles apenas secaram no tempo e desapareceram, mas a genuína fé sobreviveu a todo sofrimento, porque ousadamente, alguns experimentaram mudanças e, assim, viveram uma sobrenatural alegria produzida pelo Espírito Santo (At 13.52).

1. QUANDO MUDAR É NECESSÁRIO
Com o passar do tempo entendemos que muita coisa muda ao nosso redor. Todas as mudanças têm um mínimo de desconforto e nem sempre são positivas. Por esse motivo, adiamos fazê-las, na maioria das vezes . Mas, quando surge a  possibilidade de  algumas transformações, as fazemos pensando sempre no melhor. Assim, também na obra de Deus, precisamos observar as mudanças necessárias.

2. ELES MOSTRARAM QUE TODA  LIDERANÇA É TRANSITÓRIA
Num papel de liderança, todos de alguma forma, um dia serão substituídos. Há momentos, no entanto, que é preciso ousar uma mudança para o próprio bem da missão que está em nossas mãos, a fim de que ela sobreviva,  aperfeiçoe-se e atinja patamares de excelência em Cristo. Barnabé era o líder da missão gentílica, ao desenvolvê-la  preferiu assentir com as mudanças voluntariamente, do que, com egoísmo travar o seu crescimento. Vejamos.
  
3. ELES OUSARAM MUDAR DE FOCO
O desenvolvimento da missão gentílica prosseguia o mesmo, exceto por essa mudança de foco em alguns aspectos necessários ao sucesso da missão, como já adiantamos acima. Com isso aprendemos que o mais importante não é mudar a missão, mas a maneira como se faz a mudança.

CONCLUSÃO
É inquestionável o elevado preço com que as Escrituras Sagradas, o Cristianismo e a Salvação chegaram até nós. No caminho, com sofrimento, muitos ajustes foram feitos, muitas retomadas de antigas bases que haviam sido esquecidas. Hoje, cumpre a nós ousarmos ser elementos de transição, que levem nossa comunidade e Igreja a uma mudança em Jesus Cristo. Ele mesmo ensinou sobre a necessidade de vinho novo em odres novos, quer dizer, apropriados, para evitar o desperdício.

GLOSSÁRIO:
Paradigma: Modelo; aquilo que serve de exemplo ou norma;
Altercar: Discutir com ardor, provocar polêmicas.
Patamares:  O mesmo que alturas. 

Fontes:
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa - Editora Betel,
Revista: BARNABÉ – Editora Betel - 4º Trimestre 2011 – Lição 08.




LIÇÃO 07 - As Estratégias Missionárias Iniciais de Barnabé



Texto Áureo: “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas”. 2 Co 10.4

Objetivos:

Descrever a estratégia inicial de Barnabé como líder da missão em evangelizar seus patrícios;
Mostrar como Paulo se utilizou de seu título e ousadia para proclamar o evangelho ali;
Convidar os alunos a utilizarem o que têm para cumprirem a obra evangelizadora estrategicamente.

INTRODUÇÃO.
O primeiro lugar que Paulo e Barnabé visitaram foi Chipre. Barnabé era nativo de lá e era característica de seu nobre caráter o desejo de compartilhar os tesouros de Jesus em primeiro lugar com seus patrícios. Chipre era uma província romana, famosa por suas minas de cobre e seus estaleiros. Era também conhecida pelo nome de “Makaria” que significa “a ilha da felicidade”, porque se dizia que tinha um clima tão perfeito e recursos tão variados que qualquer um poderia encontrar ali todo o necessário para uma vida feliz.

1. OS MISSIONÁRIOS SE DIRIGEM A CHIPRE
Barnabé e Paulo não perdem tempo, uma vez que Deus havia falado com eles e com a Igreja,  atravessam o Rio Orontes e vão até a Selêucia, porto de Antioquia, e de lá navegam para a bela Ilha. Ao chegarem a Salamina, porto de Chipre, logo se puseram a trabalhar estrategicamente no afã de conduzirem muitas almas ao Senhor, chegando a um lugar conhecido para dali partirem para terras por eles ainda não pisadas (Rm 15.20).

2. OS MISSIONÁRIOS ANUNCIAVAM A PALAVRA
“E, chegados a Salamina, anunciavam a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus” (At 13.5). O mundo daqueles dias abria grandes oportunidades para a pregação da Palavra; as colônias judaicas espalhadas pelo Império Romano e a língua grega eram os principais meios a facilitarem essa comunicação. O que precisavam era agir com ousadia, o que não deixaram de fazer.

3. OS MISSIONÁRIOS ENFRENTAM OPOSIÇÃO ESPIRITUAL
O governador de Chipre era Sérgio Paulo. Aqueles eram tempos sumamente supersticiosos e quase todos os homens de poder, inclusive o inteligente Sérgio Paulo, tinham seus magos, adivinhos e exorcistas privados.  Começaria uma verdadeira guerra, pois Elimas, o encantador, não queria perder seus privilégios. Os missionários se posicionam contra essa escravidão imposta pelo pecado e Satanás, que quer abarcar a todos os homens. Logo, essa ofensiva tem uma resposta das trevas, como veremos a seguir.

CONCLUSÃO
Os sinais são comumente usados para abençoar, produzir fé e repreender o mal. Este sinal de maldição temporária sobre Elimas, utilizado por Paulo, é um dos poucos nas Escrituras, porém, legítimo o suficiente para conduzir à fé o procônsul. Isso não significa que ao sairmos por aí evangelizando, devemos amaldiçoar aqueles que se nos opõem; aquela foi uma ação temporária, pois o Senhor Jesus nos mandou orar pelos que nos perseguem e abençoá-los (Mt 5.44). Portanto, este acontecimento foi um caso excepcional. Os inimigos aparecem de formas variadas, alguns são mais capciosos do que outros, porém, o mais importante é ter discernimento, e com a graça do Senhor, detectá-los e desmascará-los (1 Co 2.14).

GLOSSÁRIO:
Abarcar: Cingir com os braços, abraçar.
 Escalão: Nível, grau.
 Imprecar: Rogar pragas a alguém, amaldiçoar.

Fontes:
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa - Editora Betel,
Revista: BARNABÉ – Editora Betel - 4º Trimestre 2011 – Lição 07.




LIÇÃO 06 - Os Missionários Pioneiros no Mundo Gentílico

Texto Áureo: “Livra os que estão destinados à morte e salva os que são levados para a matança, se os puderes retirar”. Pv 24.11

Objetivos:

Apresentar como se deu a preparação da primeira viagem missionária da cristandade;
Revelar o padrão seguido por eles antes de saírem em campo;
Advertir solenemente acerca da obediência que devemos ter quando chamados.

INTRODUÇÃO
A missão evangelizadora do mundo (após o a ressurreição do Senhor Jesus) pertencia primeiramente à equipe apostólica e à Igreja em Jerusalém. Mas, como  foi adiada por consequência de alguns paradigmas discriminatórios, a missão foi transferida para Antioquia, uma Igreja viva, sensível ao Espírito, que orava e jejuava. Foi nesse ambiente que o Espírito Santo falou “Apartai-me a Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”. De lá Barnabé e Saulo abraçaram o mundo gentílico, disseminando o evangelho por onde passavam.

1 UMA IGREJA CONSOLIDADA
Lucas fez o registro de alguns indicadores do Espírito predominantes em Antioquia a presença da graça de Deus, a exortação, a permanência no Senhor com propósito definido, muita gente se unindo ao Senhor e sendo discipulada, a ajuda enviada aos irmãos no serviço do Mestre, oração e jejum. Nesse clima, o Espírito Santo conduzia a Igreja, após tê-la consolidado. Veremos a seguir três fatores importantes de tal consolidação.
  
2 UMA LIDERANÇA SEDENTA DE DEUS
Ninguém em  Antioquia estava pensando em ascensão pessoal, não esperavam ter seus nomes refletidos na mídia. Realmente haviam experimentado um “novo nascimento”, viviam um “Reino” fora das dimensões humanas, onde o egoísmo cede lugar à humildade, quando ser rico pode ser importante, mas não necessário, porque satisfazer a vontade de Deus está acima de qualquer desejo material.

3 A PROEMINÊNCIA DO ESPÍRITO SANTO
Proeminência é a superioridade com que o Espírito Santo agiu naquela situação. Ele sempre agirá assim quando nos inclinarmos humildemente a ouvir e praticar a Palavra de Deus, pois o Espírito Santo ainda fala. Não devemos impor regras para que Ele possa atuar. Parece que, com o passar do tempo, alguns querem se tornar senhores, esquecendo-se, na verdade, de quem é o Senhor da Igreja.
  
CONCLUSÃO
Deixemos a comodidade que impede o nosso crescimento em Deus, e dificulta as realizações dos sonhos dEle por nosso intermédio. Até mesmo os problemas pelos quais passamos podem revelar uma rebeldia silenciosa, mascarada sob o disfarce das orações e jejuns que demonstram uma espiritualidade reprovada nos céus. A igreja de Jerusalém é de onde deveria ter partido originalmente a missão, o que é para nós uma advertência. Se Jerusalém não obedece, Ele levanta Antioquia. Só depois de muitos anos foi que todos os apóstolos se lançaram em diferentes direções no mundo, quando o cristianismo já estava firmado religiosamente

GLOSSÁRIO:
Legitimar: Legalizar, tornar legítimo para efeitos de lei.
Detentor: Aquele que detém; depositário.
Primoroso: Feito com primor, excelência, perfeição.

Fontes:
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa - Editora Betel,
Revista: BARNABÉ – Editora Betel - 4º Trimestre 2011 – Lição 06.




LIÇÃO 05 - Barnabé, Um Líder Comprometido com a Obra Social



Texto Áureo: “Não negligencieis, igualmente, a prática do bem e a mútua cooperação; pois, com tais sacrifícios, Deus se compraz”. Hb 13.16

Objetivos:

Mostrar o compromisso assistencial demonstrado na Igreja em Antioquia.
Revelar as maneiras como a liderança agiu em relação à obra social.
Apelar para que demonstremos  nossa fé através das obras sociais.

INTRODUÇÃO
Havia nos crentes de Antioquia uma gratidão muito grande com relação aos crentes de Jerusalém e da Judéia, pelo fato de terem sido os primeiros gerados na fé cristã, posto que pela dispersão e boa vontade em compartilhar as boas novas por onde passavam, ainda que inicialmente apenas aos judeus, possibilitaram assim a existência indireta daquela Igreja ali. Como já visto na lição anterior, Antioquia era formada pelos crentes vindos de Chipre e de Cirene, que haviam partido de Jerusalém originalmente.

1 RECONHECENDO AS NECESSIDADES ALHEIAS
Era perfeitamente compreensível que profetas de Jerusalém viessem a Antioquia para conhecer o trabalho e desfrutar de um momento de comunhão como os demais irmãos da recém formada Igreja. Foi a vinda deles que possibilitou a ajuda assistencial tão necessária para aqueles tempos difíceis.
  
2 RECOLHENDO DONATIVOS
Era comum que judeus estabelecidos em outras cidades e prósperos, mandassem para Jerusalém suas contribuições tanto para o templo quanto para os necessitados. A coleta para os pobres significava muito mais que generosidade e gentileza, era uma maneira de demonstrar a unidade da Igreja. Para Paulo era uma maneira de ensinar aos cristãos dispersos que não eram somente membros de uma Igreja local, mas sim, da Igreja em sua totalidade, onde cada uma de suas partes tinha obrigações com as demais.

3 ENVIANDO OS DONATIVOS
Em seus escritos, Paulo usa não menos de nove palavras distintas para descrever o termo “coleta”. Algumas vezes usa a palavra “koinonia” (2 Co 8.4; 9.13; Rm 15.5,6). Aqui “koinonia” significa “solidariedade” e sua essência  é o compartilhar. A comunhão cristã não se baseia no espírito que se pode orgulhar do que possui, mas considera tudo como suscetível de ser compartilhado com outros. A pergunta prioritária não deve ser com o que posso ficar, mas o que posso dar (At 11.29).
  
CONCLUSÃO
Muitos são os apelos ao longo da Bíblia para cuidarmos dos órfãos, das viúvas e não abandonarmos os pobres em suas dificuldades. É uma semeadura difícil pela dureza do labor em si, e a enorme paciência que exige daqueles que estão envolvidos nesses trabalhos. Paulo e Barnabé, tendo cumprido a missão de dar assistência aos necessitados, voltaram motivados também por saberem que a Igreja ali voltara a crescer e a se multiplicar.  A obra feita para Deus terá uma recompensa possível aqui, mas uma ceifa certa na eternidade. Afinal, a fé sem obras é morta. 

GLOSSÁRIO:
Predito: Dito anteriormente.
Infanticídio: Assassínio de recém nascido.
Mitigar: Abrandar, amansar, diminuir.

Fontes:
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa - Editora Betel,
Revista: BARNABÉ – Editora Betel - 4º Trimestre 2011 – Lição 05.




terça-feira, 8 de novembro de 2011

Vem Aí!


Dias 24 e 25 de dezembro de 2011

Realização:
Grupo Nova Aliança

Assembleia de Deus em Coaraci-BA
Avenida São Pedro, 876 - Bairro Santo Antônio

sábado, 22 de outubro de 2011

Participe!


O Departamento Infantil promove neste dia 23 um culto festivo com as crianças.
O tema: Criança com Jesus é só alegria e diversão está baseado em Neemias 8: 10b.

Aguardamos sua presença (convite abaixo):


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

LIÇÃO 04 - Barnabé e a Liderança Sinérgica




Texto Áureo: “Como poderia um só perseguir mil, e dois fazerem fugir dez mil, se a sua Rocha lhos não vendera, e o Senhor lhos não entregara”. Dt 32.30

Objetivos:
Compreender por que Barnabé foi buscar a Saulo para auxiliá-lo;
Ensinar o que é a verdadeira sinergia aplicada ao trabalho do Senhor;
Explicar as vantagens do desenvolvimento de um trabalho sinérgico em dupla ou em equipe.


INTRODUÇÃO
Veremos ao longo dessa lição as vantagens de um trabalho sob uma liderança sinérgica (conjunta), para que possamos destacar ainda mais a cooperação voluntária e sincera em nossas igrejas. Sinergia é a combinação de dois ou mais elementos que convergem seus atos para a realização de um determinado fim, possibilitando assim, grandes feitos. Essa convergência de elementos forma uma dupla ou equipe com um propósito comum. Quando unidos em torno de um alvo único, eles possuem um poder sobrenatural de concretização.

1 BARNABÉ SENTE O PESO DA OBRA
Sendo sinergia o efeito resultante da ação de vários agentes que atuam da mesma forma, o valor é superior ao conjunto desses agentes se atuassem individualmente. Precisamos entender que na igreja, a obra de Deus não é realizada por apenas algumas pessoas e as demais ficam observando e até criticando. Fomos todos convocados ao IDE de Jesus (Mc 16.15-18). Somos todos cooperadores de Deus (1Co 3.6-9). Na unidade está nossa força (Sl 133).
  
2 BARNABÉ ENCONTRA UM PARCEIRO
A pessoa que Barnabé procurava deveria ser alguém que possuísse algumas qualificações chaves 1) um companheiro que se harmonizasse com ele mesmo e com sua chamada, como um enviado apostólico; 2) alguém que entendesse  sua visão de trabalho e pudesse ajudá-lo a influenciar a Igreja segundo a orientação de Deus; 3) uma pessoa que pudesse desfrutar de comunhão com a liderança ali existente e causasse impacto sobre ela; e, 4) um cooperador que demonstrasse maturidade cristã e buscasse excelência em tudo o que fizesse.
  
3 AS VANTAGENS DA SINERGIA
Trabalhando em dupla ou na liderança de uma equipe, quando há sinergia, isto é, o esforço coordenado na realização de uma função comum, as vantagens se multiplicam. A palavra “sunergeo” no grego, significa trabalhar junto, ajudar na obra, ser parceiro no labor. Essa palavra é traduzida como cooperar, ajudar e é encontrada no Novo Testamento em Mc 16.20; 1Co 16.16; 2Co 6.1 e Tg 2.22.

CONCLUSÃO
Montar uma equipe é importante, assim como igualmente relevante é guiá-la para um propósito definido na obra do Senhor. Quando cada elemento sabe claramente a sua missão dentro da equipe e como desempenhá-la, a probabilidade de êxito é incomparavelmente maior. Barnabé a formou e a liderou com excelência, todavia, dentro de uma visão cristocêntrica produzida pelo Espírito Santo em sua vida. Esse foi o segredo que resultou no crescimento da igreja em Antioquia.

GLOSSÁRIO:
Magnitude: Qualidade de grandeza.
Mirabolante: Que dá muito na vista, espalhafatoso.
Sinergia: Conjunto de forças (ou órgãos) agindo simultaneamente para um propósito.

Fontes:
Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa - Editora Betel,
Revista: BARNABÉ – Editora Betel - 4º Trimestre 2011 – Lição 04.